O que todos os pacientes cardíacos devem levar em conta sobre a COVID-19

BLOG:
O QUE TODOS OS PACIENTES CARDÍACOS DEVEM LEVAR EM CONTA SOBRE A COVID-19

Conforme nos adaptamos às mudanças trazidas pela pandemia de COVID-19, sabemos que há grupos de risco, como pessoas com alguma condição de saúde que devem aumentar os cuidados habituais. Neste artigo encontrará a informação necessária para prevenir um possível contágio, e lembre: Não deve baixar a guarda!

Conforme o Dr. Eduardo Sánchez, diretor médico principal para a prevenção da American Heart Association, devemos nos manter atentos às recomendações feitas pela Organização Mundial da Saúde; são a melhor defesa que temos contra o vírus.

Mas por que é tão importante prevenir o contágio de COVID-19 em um paciente cardíaco? A Dra. Orly Vardeny, professora associada de medicina no Sistema Médico de Veteranos em Minneapolis e na Universidade de Minnesota, afirma que “O alvo principal do vírus são os pulmões. No entanto, também pode afetar o coração, principalmente no caso de um coração doente, já que este tem que trabalhar mais arduamente para bombear sangue oxigenado pelo corpo todo. Isso poderia exacerbar alguns sintomas em pessoas com insuficiência cardíaca, pois o seu coração já tem dificuldade para funcionar eficientemente.”

Desse modo, se você for um paciente com alguma afecção cardíaca, fazemos as seguintes recomendações:

Se você tem um problema cardíaco e precisa visitar um hospital/clínica para obter informações/atendimento ou está com sintomas:

  • Existe uma crescente preocupação entre a comunidade médica de que pacientes cardíacos, mesmo aqueles com doenças graves, estão evitando hospitais por medo de infecção por COVID-19.
  • Infelizmente, atrasar os cuidados necessários para problemas cardíacos, como insuficiência cardíaca ou fibrilação atrial, pode causar danos a longo prazo à sua saúde.
  • Não deixe que o medo o impeça de procurar a atenção que você precisa. Confie no seu coração.
  • Converse com seu médico sobre a segurança de suas instalações e as precauções que estão tomando para manter os pacientes seguros.
  • Aprenda como o hospital/clínica está se preparando para fornecer serviços médicos necessários com segurança.

Se for trabalhador essencial ou tiver que sair de casa:

  • Lembre que todas as superfícies são uma fonte potencial de infecção, então desinfetá-las.
  • Faça um bom processo de desinfecção.
  • Limpe todos os pacotes, embrulhos e, finalmente, jogue fora os saquinhos.
  • Verifique a sua temperatura antes de ir trabalhar, detecte sintomas e monitore regularmente as condições de segurança e higiene no local de trabalho.
  • Use máscara.
  • Pratique o distanciamento social.

Se estiver em casa:

*Ficar em casa não significa evitar as medidas de precaução

  • Continue lavando as mãos constantemente.
  • Limpe e desinfete as superfícies regularmente.
  • Se tiver uma emergência, ligue para 192 ou ao para seu médico.
  • Mantenha-se em contato com o seu serviço de atendimento médico.

Se morar sozinho:

  • Faça uma lista de contatos de apoio (familiares, amigos, vizinhos ou colegas), e deixe em um local visível e de fácil localização.
  • Faça um inventário de todos os seus medicamentos; certifique-se de ter suficiente para um longo período de tempo, e da mesma forma ter uma farmácia que os forneça.

Lembre de continuar se mantendo ativo, alimente-se de forma sadia e controlando o peso. Entre em contato com os seus entes seres queridos, já que o isolamento pode afetar negativamente a sua saúde.

Conforme o Dr. Stephen Kopecky, cardiologista da Mayo Clinic, recomenda tomar a vacina antigripal, já que os estudos mostram que pessoas com problemas cardíacos vacinadas contra gripe ou influenza reduzem em aproximadamente 50% o risco de sofrer um ataque cardíaco ou um acidente cérebro-vascular (AVC).

Para finalizar, é importante encontrar alternativas para não deixar de lado os controles médicos aos quais deve comparecer, muitos prestadores de serviços da saúde estão oferecendo consultas por telefone ou por teleconferência, para evitar que você vá ao consultório médico. Estas opções permitem obter o cuidado médico que você precisa, sem o risco de se expor a um possível contágio.

Referências:

https://www.heart.org/en/news/2020/03/18/lo-que-deben-saber-los-pacientes-cardiacos-acerca-del-coronavirus

https://newsnetwork.mayoclinic.org/discussion/advertencia-del-experto-si-padece-una-enfermedad-cardiaca-proteja-su-salud-durante-la-pandemia-de-la-covid-19/

https://www.heart.org/en/news/2020/03/19/precauciones-acerca-del-coronavirus-para-pacientes-y-personas-que-enfrentan-riesgos-mayores

https://compassionandchoices.org/resource/covid-19-uso-de-telesalud-para-reducir-sus-riesgos/


O que perguntar ao seu médico sobre as doenças cardiovasculares?

BLOG:
OU O QUE PERGUNTAR AO SEU MÉDICO SOBRE DOENÇAS CARDIOVASCULARES?

Visitar o médico, ainda que seja absolutamente necessário, não deixa de causar angústia, ainda mais quando suspeita ou quando confirma que tem uma doença cardiovascular (Bradicardia e Taquicardia, Fibrilação Atrial e Insuficiência Cardíaca), por isso, é importante se preparar para a consulta médica.

Geralmente, na etapa inicial, as doenças cardiovasculares não produzem sintomas, sendo possível que o paciente não saiba que está em risco da doença até que uma revisão médica de rotina demonstra que tem um alto nível de colesterol ou pressão sanguínea alta, por isso é importante realizar revisões médicas periódicas.

A seguir apresentaremos uma lista de dados que podem lhe ajudar e preparar para a sua consulta, mas também para saber o que esperar do seu médico.

  • Anote qualquer sintoma que tiver, inclusive os que pareçam não ter relação com a doença das artérias coronárias.
  • Anote a sua informação médica chave, inclusive outras afecções que tenham diagnosticado, todos os medicamentos e suplementos que estiver tomando e os antecedentes familiares de doenças cardíacas.
  • Peça a um familiar ou a um amigo que o acompanhe à consulta médica, se for possível. A pessoa que o acompanhar o poderá ajudar a lembrar do que dize o médico.
  • Escreva preguntaspara fazer ao médico.

O que devo perguntar ao médico nessa consulta médica?

  • Corro um alto risco de sofrer um ataque do coração ou um derrame cerebral
  • O que significam meus valores de colesterol?
  • O que significam meus valores de pressão arterial?
  • O que mais posso fazer para diminuir o risco de sofrer um ataque do coração ou um derrame cerebral?
  • Qual é o meu diagnóstico?
  • Qual risco tenho de sofrer complicações a longo prazo devido a esta afecção?
  • Qual é o tratamento que me recomenda?
  • Caso recomende medicamentos, quais são os possíveis efeitos secundários?
  • Sou candidato a uma cirurgia? Por que sim ou por que não?
  • Qual dieta e mudanças de estilo de vida deveria fazer?
  • Se as fizer, quais restrições devo respeitar?
  • Com que frequência serão as consultas de acompanhamento?
  • Tenho estes outros problemas de saúde. Qual é a melhor forma de controlá-los de forma conjunta?

Se sofrer de uma doença cardiovascular, poderá tomar medidas para controlar os fatores de risco e prevenir complicações, mediante mudanças no seu estilo de vida e atendimento médico poderá controlar a doença. Veja aqui informação sobre as doenças cardiovasculares.

Arritmia: É um transtorno da frequência cardíaca (pulso) ou do ritmo cardíaco. O coração pode bater devagar demais (bradicardia), rápido demais (taquicardia) ou de forma irregular.

Fibrilação atrial: A fibrilação atrial é a frequência cardíaca acelerada causada por impulsos elétricos caóticos e irregulares nas cavidades superiores do coração (átrio).

Insuficiência Cardíaca: A insuficiência cardíaca é uma condição onde o músculo cardíaco fica fraco e não é capaz de bombear sangue eficientemente.

Também temos alguns guias para que possa direcionar a conversa sobre alguns dos seus sintomas ou inquietações com o seu médico.

Fuentes:

https://healthfinder.gov/espanol/temas/Category/enfermedades-y-problemas-de-salud/la-salud-del-corazon/preguntas-para-el-doctor-los-medicamentos-para-prevenir-el-ataque-al-corazon-o-el-derrame-cerebral

http://www.imss.gob.mx/preguntas-de-salud/preguntas-corazon

https://medlineplus.gov/spanish/ency/patientinstructions/000231.htm

https://www.mayoclinic.org/es-es/diseases-conditions/coronary-artery-disease/diagnosis-treatment/drc-20350619

https://www.clarin.com/salud/preguntas-frecuentes-cardiologo_0_ryd4mwuqvXg.html


Entendendo os dispositivos cardíacos implantáveis

BLOG:
ENTENDENDO OS DISPOSITIVOS CARDÍACOS IMPLANTÁVEIS

Viver com um problema cardíaco pode ser um desafio para as pessoas; Por isso, para proporcionar-lhes uma melhor qualidade de vida, várias tecnologias foram desenvolvidas para ajudar a iniciar o coração e evitar complicações. Conheça-os!

Um dispositivo cardíaco implantável é um dispositivo muito pequeno, do tamanho de um biscoito – existem até marcapassos ainda menores. Monitore e corrija seu coração com impulsos elétricos por meio de fios. É colocado sob a pele, geralmente ao nível da clavícula.

Marcapassos, Desfibrilador automático, dispositivos implantáveis? Termos com os quais as pessoas que têm problemas cardíacos ou de circulação sanguínea acabam se familiarizando, ainda que chegar a fazê-lo seja difícil e gere medo, situação que é apenas compreensível cada vez que ocorre.

Vejamos quais são os dispositivos mais conhecidos e implantados no mundo, que têm permitido que milhões de pessoas de todas as raças, idades e gêneros com doenças cardiovasculares tenham uma melhor qualidade de vida.

Como em todas as situações que comprometem o coração, somente um médico especialista poderá determinar o tipo de dispositivo que poderá ser necessário, de acordo com a afecção cardíaca sofrida.

O que é um marcapasso?

Um marcapassos cardíaco é um dispositivo pequeno, acionado com pilhas, que envia um sinal ao coração e esse sinal faz com que coração bata no ritmo correto.

Estes dispositivos permitem corrigir ritmos cardíacos anormais, já que o coração pode bater muito lentamente, rápido demais ou de forma irregular para qualquer dos casos e, a fim de coordenar melhor as batidas do coração em pessoas com insuficiência cardíaca, são utilizados os denominados marcapassos biventriculares.

Geralmente são implantados quando o coração fica fraco, se torna grade demais e não bombeia sangue da forma adequada. Atualmente, a maioria dos marcapassos biventriculares também pode funcionar como cardioversores desfibriladores implantáveis (CDI).

O que é um Cardioversor Desfibrilador Implantável (CDI)?

É um dispositivo que pode ajudar a corrigir as batidas cardíacas rápidas que provêm das câmaras inferiores do coração. Estes ritmos rápidos podem ser potencialmente fatais, então, um desfibrilador cardioversor implantável controla o coração e administra uma descarga ou terapia especial de estimulação para restabelecer o ritmo normal do coração.

O propósito de uma descarga deste dispositivo é o reajuste do ritmo cardíaco e o restabelecimento do ritmo normal do coração. Alguns desfibriladores cardioversores implantáveis também podem tratar os ritmos rápidos com um tipo especial de terapia de estimulação. Alguns CDI têm marcapassos incorporados.

O que é um dispositivo de ressincronização cardíaca?

Quando o coração não bate de forma eficiente e são cumpridos os critérios de elegibilidade, é possível que você seja candidato a um dispositivo cardíaco de terapia de ressincronização cardíaca (TRC). Estes dispositivos de TRC enviam pequenos impulsos elétricos indetectáveis a ambas as cavidades inferiores do coração, para ajudar a bater juntas, com um padrão mais sincronizado. Isto melhora a capacidade do coração de bombear sangue e oxigênio ao corpo.

O dispositivo cardíaco é, na realidade, um pequeno computador, mais uma bateria, contidos em uma pequena caixa de titânio de metal com o tamanho aproximado de um relógio de bolso. Pesa cerca de 85 gramas.

O dispositivo de Terapia de Ressincronização Cardíaca é projetado para tratar a insuficiência cardíaca. Além do dispositivo cardíaco, são implantados cabos isolados chamados eletrodos, com dois objetivos: transportar sinais de informação do coração ao dispositivo cardíaco e conduzir os impulsos elétricos ao coração.

A terceira parte do sistema do dispositivo implantável é um programador: um computador externo localizado no consultório do seu médico ou na clínica, que é utilizado para programar o dispositivo cardíaco e extrair informação do seu dispositivo para ajudar o seu médico no seu tratamento da insuficiência cardíaca.

O que é um dispositivo de assistência ventricular?

Um Dispositivo de Assistência Ventricular (VAD, pelas suas siglas em inglês), também conhecido como dispositivo de assistência circulatória mecânica, é uma bomba mecânica implantável que ajuda o coração a bombear sangue das câmaras inferiores (os ventrículos) ao restante do corpo. Um VAD é usado para pessoas com o coração debilitado ou insuficiência cardíaca. Ainda que o VAD possa ser colocado no ventrículo esquerdo, ou direito, ou em ambos, mais frequentemente é colocado no ventrículo esquerdo. Quando é colocado no ventrículo esquerdo é denominado dispositivo de assistência ventricular esquerda (VAD).

Geralmente, os VAD são implantados enquanto o paciente espera um transplante de coração ou até mesmo quando o coração está suficientemente forte para bombear sangue eficazmente por si só.

Alguns médicos também podem recomendar a implantação de um VAD como tratamento a longo prazo se tem insuficiência cardíaca e não é candidato para um transplante de coração.

Implantar um VAD requer cirurgia de coração aberto e apresenta riscos graves. Mas este dispositivo pode salvar a vida de quem sofre de insuficiência cardíaca grave.


8 Conselhos para seguir na sua rotina diária em casa com insuficiência cardíaca

BLOG:
8 CONSELHOS PARA SEGUIR NA SUA ROTINA DIÁRIA EM CASA COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA

Na América Latina, uma das principais causas de mortalidade são as doenças cardiovasculares, que, sendo detectadas a tempo e com o seu devido tratamento, pode salvar a sua vida.

O primeiro a se esclarecer é que a insuficiência cardíaca é uma condição do coração que requer atendimento médico, mas não significa que o seu coração tenha parado. Se desejar conhecer mais sobre esta condição ou se já tiver sido diagnosticado com insuficiência cardíaca, clique aqui

Lembre-se que os seguintes passos serão parte de um processo onde devemos mudar hábitos para melhorar esta condição médica:

  1. Pese-se todos os dias

É importante que tenha um estrito controle do seu peso, conforme a Doutora em cardiologia e professora da Universidade de Missouri em Kansas City, Tracy Stevens, você deve se pesar todas as manhãs, depois de ir ao banheiro. Se aumentar três libras em um dia ou cinco libras em uma semana, é sinal de alerta e significa que você está retendo líquidos. Verifique os seus tornozelos, pernas e abdômen. Se observar inchaço, pode ser um sinal de edema ou de acumulação de líquidos nos tecidos e requer atendimento imediato pelo seu médico.

  1. Controle a sua pressão arterial

O seu médico vai querer realizar o acompanhamento da sua pressão arterial. A razão é que, graças a esta medição, podemos detectar se ocorre uma tensão no coração. Isto pode fazer com que o músculo fique fraco e trabalhe de forma menos eficiente. Uma opção simples é adquirir um monitor arterial para que detalhe as suas medições e o mostre ao seu médico o controle realizado.

  1. Limite o consumo de líquidos

Beber líquidos demais pode piorar a sua condição médica. A doutora Stevens enfatiza que muitas pessoas acreditam que precisam de mais líquidos para limpar o seu organismo, mas este não é o caso de quem sofre de insuficiência cardíaca; os seus rins têm menos capacidade para eliminar o sódio e a água. “A maioria das pessoas precisarão limitar as bebidas, como o café, o chá, sucos, alimentos com alto conteúdo de água, como sopa, melancia, sorvete e gelatina ”, acrescenta a doutora Stevens; o anterior não significa que você deva suprimir as bebidas, mas somente não ultrapassar as quantidades e os líquidos sugeridos pelo seu médico.

  1. Reduzir o consumo de sal

A redução de sódio na sua dieta diária é chave para que a sua condição médica melhore incrivelmente. É importante que reduza o consumo de sal e poderá começar com passos simples para diminuí-lo nas suas refeições. Se comprar enlatados ou congelados, escolha aqueles que estão marcados como “Baixo conteúdo de sal” ou “Sem sal acrescentado”. Deverá evitar o toucinho, os alimentos fritos, comida rápida e a manteiga salgada.

  1. Siga as indicações do seu médico ao pé da letra

Os medicamentos que o seu médico receitar são fornecidos especialmente para os sintomas que afetam a sua condição médica. É crucial que seja muito disciplinado com a ingestão dos medicamentos, coloque lembretes, coloque notas no refrigerador ou utilize organizadores de comprimidos.

  1. Vista-se para o sucesso

Não utilize meias com faixa apertada na parte superior, isto impedirá que chegue sangue dos pés ao coração, e poderá aumentar o risco de formar um coágulo em um vaso sanguíneo da perna. Controlar a temperatura do seu corpo também é importante, pois ajudará a controlar a sua insuficiência cardíaca; estudos demonstram que a diminuição da temperatura corporal pode predizer a doença.

  1. Ter qualidade de sono

Em geral, obter qualidade de sono ótima é o ideal para manter uma saúde muito boa. Quando sofrer de insuficiência cardíaca, descansar se tornará indispensável e quase obrigatório para se manter estável. Conforme uma pesquisa publicada no New England Journal Of Medicine, os pacientes com insuficiência cardíaca têm mais possibilidades de experimentar transtornos do sono, pelo qual se recomenda adquirir uma rotina estrita.

Apresentamos algumas medidas para controlar os seus hábitos de sono:

  • Deite-se e levante-se à mesma hora todos os dias, inclusive aos finais de semana.
  • Mantenha o seu quarto escuro e fresco.
  • Procure travesseiros especialmente projetados para aliviar os sintomas da apneia do sono.
  1. Considere adquirir um monitor cardíaco para controlar o seu avanço

Os sistemas de monitoramento no lar podem mantê-lo seguro e controlar o seu avanço; lembre-se que há diferentes dispositivos que ajudarão com a sua condição. A maioria destes dispositivos rastreiam a sua pressão arterial, frequência cardíaca, peso, retenção de líquidos e temperatura corporal, alguns destes têm funções que criam um alerta justificado para fazer uma checagem.

Para encerrar, é importante que esteja consciente de que a sua condição médica poderá ser superada se tiver um manejo correto no seu lar, além de ser muito rigoroso com os cuidados médicos que o seu médico determinar. Estes simples passos de prevenção ajudarão a ter uma vida mais simples e tranquila com insuficiência cardíaca.

Se desejar conhecer mais sobre as diferentes doenças cardiovasculares, clique aqui..


Como é viver com um marcapassos?

BLOG:
COMO É VIVER COM UM MARCAPASSOS?

Um dia Samuel começou a se sentir mal, muito mal. As pulsações estavam muito devagar, chegou na clínica e depois de alguns exames o diagnóstico foi: é necessário implantar um marcapassos.
Essa frase costuma gerar muito medo quando nunca se teve contato com alguém que tenha problemas cardíacos: “é necessário implantar um marcapassos”. O desconhecimento, inicialmente, pode gerar muito medo, mas aos poucos tanto o paciente quanto a família se familiarizam com o dispositivo.
A ciência tem avançado tanto que atualmente os marcapassos permitem que as pessoas tenham uma vida normal. Dependendo do seu uso e do tipo de dispositivo, podem durar de cinco a sete anos.

Da mesma forma, os avanços nos circuitos, bem como o isolamento de dispositivos, têm reduzido o risco de interferência de maquinaria, como micro-ondas, que, no passado, alteravam ou afetavam de alguma forma estes dispositivos cardíacos implantados cirurgicamente. No entanto, deve-se ter certas precauções quando uma pessoa tem um marcapassos.

Muitas pessoas com um dispositivo cardíaco implantável retomam as suas atividades diárias habituais depois de se recuperar por completo da cirurgia. No entanto, o seu médico poderá pedir que você evite determinadas situações.

O seu médico dará pautas concretas de acordo com o seu caso, mas estes são alguns conselhos gerais para que você siga depois da sua recuperação.

Sobre fazer exercício

Você poderá retomar o seu estilo de vida normal gradualmente, uma vez que o médico indicar que é seguro fazê-lo. A maioria das pessoas pode continuar fazendo exercícios depois da recuperação.

No entanto, você deve evitar o contato físico brusco, que poderia fazer com que você caia ou bata a área do seu implante, já que isto poderia danificar o dispositivo ou os eletrodos. Fale com o seu médico se tiver preguntas sobre as atividades específicas.

Sobre fazer viagens

A maioria das pessoas com dispositivos cardíacos implantados pode viajar livremente, a menos que a sua patologia médica subjacente requeira alguma restrição.
A recomendação para viajar com confiança é se antecipar. Antes de sair de viagem, fale com o seu médico.

Precauções

As seguintes precauções devem sempre ser levadas em conta. Consulte o seguinte, em detalhe, com o seu médico:

  • Quando tiver que passar por um detector de metais (por exemplo, em um aeroporto), informe ao pessoal de segurança que você tem um marcapassos antes de passar pela segurança, já que o dispositivo poderá ativar o alarme.
  • É importante lembrar à pessoa da segurança que a vareta manual detectora de metais não deve ser mantida sobre o marcapassos durante um período prolongado de tempo (mais de um segundo ou dois), já que o imã dentro da vareta detectora poderá alterar temporariamente o modo de operação do seu dispositivo.
  • Evite as máquinas de imagens por ressonância magnética (RM ou MRI) ou outros campos magnéticos maiores, já que estes podem afetar a programação ou função do marcapassos (exceto tipos especiais de marcapassos que são projetados para tolerar MRI).
  • Abstenha-se da diatermia (o uso de calor na terapia física para tratar os músculos).
  • Desligue os motores grandes, como os de carro ou botes, quando trabalhar neles, já que podem “confundir” temporariamente o seu dispositivo.
  • Evite certa maquinaria de alta voltagem ou radar, como transmissores de rádio ou televisão, soldadores por arco elétrico, cabos de alta tensão, instalações de radar ou fornos de fundição.
  • Os telefones celulares disponíveis nos EUA (de menos de 3 watts) geralmente são seguros para uso. Uma recomendação geral é manter os telefones celulares pelo menos a seis polegadas (15 cm) do dispositivo. É preferível evitar levar um telefone celular no bolso em que está localizado o marcapassos.
  • Os fones de ouvido podem conter uma substância magnética que poderá interferir com a função do dispositivo quando estiverem em contato muito próximo. Recomenda-se que os fones de ouvido sejam mantidos ao menos a 1,2 polegadas ou 3 centímetros do seu dispositivo. Recomenda-se não pendurar os fones de ouvido ao redor do pescoço, nem os levar no bolso do peito.
  • É muito importante levar sempre o cartão de identificação que estabelece que você tem um marcapassos. Igualmente, recomenda-se usar um bracelete ou colar de alerta médico se tiver um dispositivo.

Sempre consulte o seu médico ou companhia do dispositivo se tiver perguntas referentes ao uso de certo equipamento perto do seu marcapassos.

Para conhecer maior informação sobre as doenças cardiovasculares clique aqui: www.cuidandodoseucoracao.com

Referências usadas:

https://cuidateplus.marca.com/enfermedades/enfermedades-vasculares-y-del-corazon/2004/04/20/vivir-marcapasos-3480.html

https://www.medtronic.com/es-es/tu-salud/tratamientos-y-terapias/bradicardia/vivir-con.html

http://healthlibrary.uchospitals.edu/Spanish/conditions-and-treatments/service-line/dermatology-22/Content/adult-diseases-and-conditions-v0/vivir-con-un-marcapasos-o-cardiodesfibrilador-implantable-cdi/

https://www.youtube.com/watch?v=iYy9C71pO-g


FEVE: O Número Secreto Do Coração

BLOG:
FEVE: O NÚMERO SECRETO DO CORAÇÃO.

Conhecer a sua saúde é muito importante. Geralmente estamos pendentes do nosso peso, dos níveis de açúcar, da pressão arterial, entre outras coisas. Mas você sabia que também é muito importante saber sobre a saúde e a condição do nosso coração para poder prevenir futuras complicações?

Para conhecer a saúde do nosso coração é importante saber qual é a porcentagem do nosso número FEVE.

A Fração de Ejecção de Ventrículo Esquerdo (FEVE) é o termo utilizado para conhecer a porcentagem de bombeamento do nosso coração em cada batida.

Vídeo: O que é o número FEVE e como é diagnosticado?

Como posso conhecer o meu número FEVE?

Para conhecer nosso número FEVE é importante realizar um exame chamado ecocardiograma. Este é um exame que oferece uma imagem em movimento do coração. Mediante ultrassons, a ecocardiografia fornece informação sobre a forma, tamanho, função, força do coração, movimento e espessura das suas paredes; bem como o funcionamento das suas válvulas.[1].

Os especialistas recomendam que este estudo seja realizado uma vez por ano, principalmente por pacientes que já tiveram um infarto. E no caso de apresentar alguma anomalia no estudo, é recomendável realizar o estudo a cada três meses, já que os resultados podem variar com o passar do tempo.

Para saber com precisão qual é o seu número FEVE, há uma medição de porcentagens.

50–75%

A capacidade de bombeamento do coração é

NORMAL

36–49%

A capacidade de bombeamento do coração se

ENCONTRA DIMINUÍDA

35% e menos

A capacidade de bombeamento do coração é

BAIXA

1Fundación Española del Corazón. (2018). “Ecocardiograma”. 14-03-19, de Fundación Española del Corazón Sitio web: https://fundaciondelcorazon.com/informacion-para-pacientes/metodos-diagnosticos/ecocardiograma.html

O que fazer se o seu número de FEVE é baixo ou diminuído?

Se a sua capacidade de bombeamento for baixa significa que o seu coração ficou fraco e que você está vulnerável de ter algum problema no coração, como uma Insuficiência Cardíaca ou uma Parada Cardíaca Súbita..
Por isso recomendamos que visite o seu médico periodicamente, para estar em dia com o seu estado de saúde e, principalmente, conhecer o seu número FEVE.

Certifique-se de consultar maior informação sobre insuficiência cardíaca, para ver se sofre de algum dos sintomas mencionados e baixo os nossos guias para pacientes na parte inferior de cada página, para que possa falar com o seu médico.


O ABC da arritmia

BLOG:
O ABC DA ARRITMIA

Aprenda 3 fatos importantes sobre arritmia cardíaca

A. O que é F.A?

A arritmia é qualquer alteração do ritmo normal e natural do nosso coração. Essa alteração pode ocorrer de diferentes maneiras: o coração bate mais rápido, mais devagar ou a uma velocidade irregular.

Quando o coração bate mais devagar que o normal, chamamos de bradicardia.

Quando o batimento cardíaco é rápido e irregular, é chamado de Fibrilação Atrial, e é a forma mais comum da arritmia.

Quando o coração bate mais rápido que o normal, chamamos de taquicardia.

B. Quais são os seus sintomas?

A arritmia geralmente é acompanhada por sintomas como dor no peito, suor, falta de ar, tontura ou vertigem. É muito importante consultar um médico assim que você sentir estes sintomas. Ao contrário do que podemos pensar ou temer, a arritmia não significa necessariamente que estamos sofrendo um ataque cardíaco ou que estamos prestes a sofrer um ataque cardíaco. Mas uma condição como a Fibrilação Atrial é progressiva; ou seja, se não recebermos tratamento médico precoce, pode se tornar uma condição mais grave e até ter um ataque cardíaco.

 

C. Como é tratada?

Quando a arritmia for detectada, o médico determinará qual o tratamento mais adequado para restaurar o ritmo cardíaco normal:

  • Medicamentos antiarrítmicos e anticoagulantes..
  • Um cardioversor desfibrilador ou marca-passo implantável..
  • Uma aablação por cateter..
  • Um procedimento cirúrgico..

Lembre-se!

Se você acha que tem ou está em risco de ter Fibrilação Atrial, consulte o seu médico imediatamente. Esta doença é perigosa: aumenta o risco de ter um AVC, acidente vascular cerebral, ou seja, derrame. A Fibrilação Atrial não apresenta sintomas em muitas pessoas, portanto, uma verificação preventiva não faz mal!

Para saber mais sobre esses tratamentos, visite nossa página


5 Hábitos que protegem o seu coração

BLOG:
5 HÁBITOS QUE PROTEGEM O SEU CORAÇÃO

Viver a sua vida com hábitos saudáveis pode ajudá-lo(a) a reduzir o seu risco.

Viver a sua vida com hábitos saudáveis pode ajudá-lo(a) a reduzir o risco de doenças cardíacas. Existem fatores que você pode controlar, como o seu peso, níveis do seu colesterol e sua pressão, que são muito importantes para determinar as chances de você ter uma arritmia.

Portanto, recomendamos que você siga estas dicas para manter o seu coração saudável e melhorar a sua qualidade de vida no futuro.

Por eso, te recomendamos seguir estos consejos para mantener tu corazón saludable y mejorar tu calidad de vida a futuro.

 

1. Moderar o seu consumo de álcool.

Lembre-se que beber em grandes quantidades pode aumentar o risco de pressão alta, que é um dos fatores mais influentes quando se trata de sofrer de um ataque cardíaco. Beber excessivamente enfraquece o músculo cardíaco, fazendo com que o sangue não bombeie eficientemente. Esta condição é chamada de cardiomiopatia e é potencialmente letal.

 

2. Faça exercício pelo menos duas horas e meia por semana.

Atividades como caminhar, andar de bicicleta e fazer yoga têm um efeito positivo no seu corpo: reduz a pressão sanguínea e os níveis de gordura no sangue, aliviando a carga sobre o coração.

 

3. Siga uma dieta saudável.

Inclua no seus alimentos diários frutas, legumes, grãos, produtos lácteos e proteínas, como feijão. O plano recomendado, se você é uma pessoa sedentária, é de 1.800 calorias; mas se você é ativo, é aconselhável comer cerca de 2.200 calorias por dia. Verifique com o seu médico para determinar qual o melhor plano para o seu corpo.

 

4. Diga não ao cigarro!

Fumar danifica o revestimento de suas artérias, levando ao acúmulo de placas gordurosas que ficam embutidas nas camadas internas e estreitam as artérias, dificultando a circulação sanguínea, causando dor no peito (chamada angina) e aumentando o risco de você sofrer um ataque cardíaco.

Se você já é um fumante e sente que não pode parar, consulte o seu médico, ele pode te ajudar!

 

5. Consulte o seu médico periodicamente.

Se você sentir dor no peito, congestão ou que seu coração está batendo acelerado ou irregular (arritmia), recomendamos que você consulte seu médico. Você pode ter Fibrilação Atrial, uma doença que altera sua frequência cardíaca normal e aumenta o risco de sofrer um AVC, ou no nome popular, derrame. Lembre-se que a Fibrilação Atrial não apresenta sintomas em muitas pessoas, portanto, uma verificação preventiva não faz mal!

 

Reduzir o risco de doenças cardiovasculares também depende de você. Conheça os fatores de risco para Fibrilação Atrial em nossa seção. O que é F.A.?


Quando falar com o seu médico este documento contém informação que o pode ajudar a orientar a sua conversa

Quando falar com o seu médico este documento contém informação que o pode ajudar a orientar a sua conversa


10 Fatos curiosos sobre o seu músculo mais importante: o coração

BLOG:
10 FATOS CURIOSOS SOBRE O SEU MÚSCULO MAIS IMPORTANTE: O CORAÇÃO

O seu coração é um órgão a ser levado a sério

  1. Um coração adulto bate cerca de 100.000 vezes por dia: um batimento cardíaco por segundo, 60 a 100 batimentos por minuto. Seu coração fica ocupado 24 horas por dia, 7 dias por semana, para mantê-lo vivo.
  1. Sua freqüência cardíaca muda com a idade e condição física. Geralmente, quando as crianças se tornam adultos e os adultos melhoram sua condição física, o batimento cardíaco diminui.
    • Recém-nascido: de 0 a 11 meses: 70 a 160 batimentos por minuto.
    • 1 a 4 anos: 80 a 120 batimentos por minuto.
    • 5 a 9 anos: 75 a 110 batimentos por minuto.
    • Crianças com 10 anos de idade ou mais e adultos não atléticos: 60 a 100 batimentos por minuto.
    • Atletas adultos: 40 a 60 batimentos por minuto.

 

  1. A doença cardíaca pode causar um derrame.
    Se sofrer de dor no peito, congestão ou sentir que o seu coração está batendo acelerado ou irregular (arritmia), recomendamos que consulte o seu médico. Você pode ter fibrilação atrial, uma doença que altera sua frequência cardíaca normal e aumenta o risco de sofrer um derrame, isto é, um derrame ou derrame. Se você quiser saber sobre esta doença, clique aqui.

 

  1. ¿Você quer saber o tamanho do seu coração? Faça um punho
    Geralmente, um coração saudável é o tamanho do punho de uma pessoa; No entanto, um coração doente aumenta de tamanho.

 

  1. Sua freqüência cardíaca diminui quando você dorme.
    É comum que o ritmo do seu coração seja colocado abaixo de 60 batimentos por minuto. Algumas pessoas conseguem ter 40 batidas por minuto enquanto dormem. Isso porque o metabolismo desacelera e ativa o sistema nervoso parassimpático, responsável pelas funções autônomas do corpo, relaxando o coração.

 

  1. Os sintomas de um ataque cardíaco são diferentes para mulheres e homens.
    Enquanto os homens experimentam dor torácica intensa (angina), sudorese e náusea, as mulheres sentem falta de ar, tontura, tontura, dor na parte inferior do tórax ou no abdome superior e pressão na parte inferior do abdômen. costas altas.

 

  1. Seu nível de atividade influencia seu risco de doença cardíaca.
    Pessoas com más condições físicas têm o dobro do risco de sofrer de doenças cardíacas do que pessoas ativas. É aconselhável realizar pelo menos 150 minutos de exercício de intensidade moderada, ou 75 minutos de exercício intenso, ou uma combinação dos dois. Conheça os fatores de risco para doenças cardíacas aqui.

 

  1. Há muitas maneiras de reduzir o risco de doenças cardíacas: parar de fumar, controlar o colesterol, comer mais saudável, controlar a pressão arterial, perder peso e reduzir o consumo de açúcar, são ações que têm efeitos positivos.

 

  1. Sentar-se sem se mover por longos períodos aumenta o risco de doença cardíaca. Quando somos mais ativos, mesmo com pequenos movimentos como ficar de pé ou nos mover de um lado para o outro, nossos músculos ativam genes que criam proteínas para nos ajudar a processar o açúcar e o colesterolno sangue. Portanto, se tivermos que nos sentar por um longo tempo, é aconselhável ficar de pé por pelo menos alguns minutos pelo menos a cada hora.

 

  1. Seu coração é uma ótima máquina de bombeamento. A cada minuto, bombeie cinco quartos através de um sistema de vasos sanguíneos para todas as partes do seu corpo. Isso se traduz em cerca de 2000 litros de sangue por dia.

Se você quiser saber mais sobre o seu coração e como protegê-lo melhor, visite nosso site sobre Fibrilação Atrial.


Quando falar com o seu médico este documento contém informação que o pode ajudar a orientar a sua conversa

Quando falar com o seu médico este documento contém informação que o pode ajudar a orientar a sua conversa