PERGUNTASFREQUENTES

Quando falar com o seu médico este documento contém informação que o pode ajudar a orientar a sua conversa

Quando falar com o seu médico este documento contém informação que o pode ajudar a orientar a sua conversa

Encontre aqui as respostas às perguntas mais frequentes sobre arritmias.


Buscar

CONHECER AS ARRITMIAS


Para detetar e medir a sua arritmia (batimento cardíaco lento ou rápido), o seu médico poderá usar alguns dos seguintes exames:

  • Eletrocardiograma (ECG)
  • Monitor Holter
  • Sistema de monitorização cardíaca implantável
  • Ecocardiograma
  • Angiografia
  • Estudo eletrofisiológico

A eletrofisiologia é a especialidade médica responsável pelo diagnóstico e tratamento de distúrbios do ritmo cardíaco, também conhecidos por arritmias. Estes distúrbios abrangem os ritmos rápidos (taquicardia) e os ritmos lentos (bradicardia) do coração.

Não tratar uma arritmia benigna num doente com uma condição cardíaca normal poderá não ter implicações graves; no entanto, poderá diminuir significativamente a qualidade de vida do doente (gerar ansiedade ou até mesmo limitar o tempo de vida). Uma arritmia benigna semelhante poderá ter consequências graves se não for devidamente tratada num doente com um problema cardíaco. As arritmias malignas podem levar a morte cardíaca súbita caso não se aplique o tratamento correto.

O tratamento depende do tipo de arritmia que tem. Algumas arritmias ligeiras não requerem tratamento. Muitas vezes, algumas mudanças no estilo de vida, como evitar alimentos estimulantes (álcool, café, chá, refrigerantes, chocolate, etc.), são suficientes para minimizar a arritmia. Noutros casos, poderá considerar-se um dos seguintes tratamentos disponíveis:

  • Medicamentos antiarrítmicos, para evitar episódios de taquicardia.
  • Ablação por radiofrequência, que usa calor para destruir a área problemática.
  • Cardioversão (choque elétrico administrado ao coração) quando está sob sedação, ou com medicamentos, para converter um ritmo cardíaco anormal num normal.
  • Implantar um pacemaker. Este é um dispositivo que é colocado sob a pele e que tem um ou mais elétrodos ligados ao coração. Os elétrodos permitem estimular o coração e são uma opção de tratamento para bradiarritmias (frequência cardíaca muito lenta) significativas.
  • Implantar um CDI (cardioversor desfibrilhador implantável). Monitoriza de forma contínua o ritmo cardíaco 24 horas por dia e administra automaticamente terapias para corrigir ritmos cardíacos rápidos perigosos.

DISPOSITIVOS IMPLANTÁVEIS PARA O TRATAMENTO DA BRADICARDIA


Quando nos referimos a um pacemaker, estamos na realidade a referir-nos ao sistema que inclui o pacemaker e os elétrodos.

  • Um pacemaker tradicional é um dispositivo pequeno que é implantado sob a pele, normalmente mesmo abaixo da clavícula. O dispositivo administra terapias para tratar batimentos cardíacos irregulares, bloqueados e lentos.
  • Os elétrodos são fios isolados eletricamente, finos e suaves, aproximadamente do tamanho de um fio de esparguete. Os elétrodos transportam o impulso elétrico do pacemaker para o coração e transmitem informações sobre a atividade natural do coração ao pacemaker.

O procedimento para implantar um pacemaker não requer cirurgia de coração aberto e a maioria das pessoas regressa a casa dentro de 24 horas. Antes da cirurgia, poderá ser-lhe dada medicação para que fique num estado de sonolência e se sinta confortável. Normalmente, o procedimento é realizado sob anestesia local.

Por vezes, os doentes questionam-se se irão ficar com uma protuberância visível no local onde o dispositivo cardíaco foi implantado. Poderá notar uma pequena saliência debaixo da pele onde o pacemaker está implantado.

É seguro usar dispositivos móveis desde que mantenha a distância adequada entre eles e o pacemaker. Ao usar um telemóvel, um tablet ou outro dispositivo móvel, mantenha o dispositivo a 15 centímetros de distância do pacemaker, uma vez que pode criar interferência. Recomenda-se que use o telemóvel no ouvido oposto ao lado onde tem implantado o pacemaker e que evite colocar o telemóvel num bolso próximo do pacemaker.

Sim. A maioria dos eletrodomésticos pode ser utilizada com segurança, desde que estejam convenientemente conservados e funcionem adequadamente. Isto inclui fornos, micro-ondas, grandes eletrodomésticos, cobertores elétricos e almofadas de aquecimento.

Produtos que contenham ímanes, como produtos terapêuticos magnéticos, altifalantes estéreo e massajadores portáteis, podem afetar temporariamente o funcionamento do pacemaker. Portanto, recomendamos que mantenha artigos com ímanes a, pelo menos, 15 centímetros de distância do pacemaker. Não recomendamos o uso de capas de colchão e almofadas magnéticas, pois é difícil manter uma distância de 15 centímetros quando usa estes artigos.

Dada a curta duração do controlo de segurança é pouco provável que o pacemaker seja afetado por detetores de metais ou digitalizadores por imagem de corpo inteiro, tais como os utilizados em aeroportos. Para minimizar o risco de interferência temporária com o pacemaker durante um processo de controlo de segurança, evite tocar em superfícies de metal circundantes a qualquer equipamento de rastreio. Não pare ou hesite num arco de passagem, passe simplesmente pelo arco a um ritmo normal. Caso seja utilizado um detetor de metais portátil, peça ao operador de segurança para não segurar o mesmo muito próximo do pacemaker e para não o mover para cima e para baixo junto do pacemaker.

Pode também solicitar uma revista manual, como alternativa. Caso tenha preocupações sobre estes métodos de rastreio de segurança, mostre o respetivo cartão de identificação do dispositivo e siga as instruções do pessoal de segurança.

Pode retomar a maioria ou a totalidade das suas atividades após recuperar do procedimento de implante. Contudo, poderá haver determinadas atividades que o médico lhe irá pedir para evitar, como desportos de grande contacto.
Certifique-se de que fala sobre os seus objetivos de atividade e de estilo de vida com o médico para encontrar um plano que funcione melhor para si.

DISPOSITIVOS IMPLANTÁVEIS PARA O TRATAMENTO DA TAQUICARDIA


Quando nos referimos a um cardioversor desfibrilhador implantável, estamos na realidade a referir-nos ao sistema que inclui o desfibrilhador e os elétrodos.

  • Um gerador de impulsos (desfibrilhador) funciona como um pequeno computador e monitoriza continuamente o coração, aplicando automaticamente impulsos elétricos ou choques para corrigir ritmos cardíacos rápidos.
  • Trata-se de um dispositivo pequeno, aproximadamente do tamanho de uma caixa de fósforos pequena, e é, normalmente, implantado logo abaixo da clavícula. Os elétrodos são fios isolados eletricamente, finos e suaves, aproximadamente do tamanho de um fio de esparguete. São implantados no coração através de uma veia e são ligados ao desfibrilhador. Os elétrodos transportam o impulso elétrico do desfibrilhador para o coração e transmitem informações sobre a atividade natural do coração ao desfibrilhador.

Se o seu médico sugeriu que precisa de um CDI, então isso significa que teve ou está em risco de ter ritmos cardíacos anormais (arritmias), conhecidos como taquicardia ventricular ou fibrilhação ventricular. Estes ritmos rápidos potencialmente fatais podem provocar uma paragem cardíaca súbita (PCS), o que pode levar à morte, caso não seja tratada de imediato.

O cardioversor desfibrilhador implantável foi concebido para monitorizar o ritmo cardíaco 24 horas por dia. Se o seu coração estiver a bater demasiado rápido ou irregularmente, o dispositivo primeiro enviará pequenos sinais elétricos indolores para corrigir a frequência cardíaca. Se a frequência cardíaca acelerada continuar, o desfibrilhador aplicará um choque para restabelecer a frequência normal do coração. O desfibrilhador implantável também pode ser usado para tratar ritmos cardíacos lentos enviando impulsos elétricos ao coração para os corrigir. O médico programará o CDI para administrar as terapias mais eficazes para o seu problema cardíaco.

O procedimento de implante do desfibrilhador não requer cirurgia de coração aberto e a maioria das pessoas regressa às suas casas em menos de 24 horas. Antes da cirurgia, poderá ser-lhe dada medicação para que fique num estado de entorpecimento e se sinta confortável. Normalmente, o procedimento é realizado sob anestesia local.

O procedimento de implante inclui os seguintes passos gerais:

  • Será feita uma pequena incisão, com aproximadamente 5 a 10 cm de comprimento, na parte superior do peito, mesmo abaixo da clavícula
  • Um ou dois elétrodos serão guiados através de uma veia até ao coração e os elétrodos serão ligados ao cardioversor desfibrilhador implantável
  • Um CDI de câmara única significa que tem um elétrodo inserido na câmara inferior direita (ventrículo) do coração. Um CDI de câmara dupla significa que tem também um elétrodo inserido na câmara superior direita (aurícula) do coração
  • O gerador de impulsos (desfibrilhador) será inserido sob a pele e a incisão no peito será fechada.

Quando nos referimos a um dispositivo de terapia de ressincronização cardíaca (CRT), estamos na realidade a referir-nos ao sistema que inclui o dispositivo de CRT e os elétrodos.

  • Um dispositivo de CRT é um dispositivo implantado sob a pele, normalmente mesmo abaixo da clavícula. O dispositivo fornece terapias para coordenar a ação de bombeamento do coração e trata ritmos cardíacos rápidos, irregulares ou lentos, dependendo do tipo de dispositivo de CRT. Este dispositivo pode também ser designado por dispositivo para insuficiência cardíaca, pacemaker para insuficiência cardíaca, dispositivo biventricular, dispositivo de CRT com três elétrodos, CRT-P (pacemaker) ou CRT-D (desfibrilhador)
  • Os elétrodos são fios isolados eletricamente, finos e suaves, aproximadamente do tamanho de um fio de esparguete. Os elétrodos transportam o impulso elétrico do dispositivo de CRT para o coração e transmitem informações sobre a atividade do coração ao dispositivo de CRT

Pode retomar a maioria ou a totalidade das suas atividades após recuperar do procedimento de implante. Contudo, poderá haver determinadas atividades que o médico lhe irá pedir para evitar, como desportos de grande contacto. Certifique-se de que fala sobre os seus objetivos de atividade e de estilo de vida com o médico para encontrar um plano que funcione melhor para si.

É pouco provável que o cardioversor desfibrilhador implantável (CDI) seja afetado por detetores de metais (arcos de passagem e detetores de metais portáteis) ou digitalizadores por imagem de corpo inteiro (também intitulados de digitalizadores de ondas milimétricas e digitalizadores 3D), tais como os utilizados em aeroportos. Para minimizar o risco de interferência temporária com o CDI durante um processo de rastreio de segurança, não pare ou hesite num arco de passagem; passe simplesmente pelo arco a um ritmo normal. Caso seja utilizado um detetor de metais portátil, peça ao segurança que não o mantenha sobre o desfibrilhador implantável e nem o mova para cima e para baixo junto do CDI. Pode também solicitar uma revista manual, como alternativa. Caso tenha preocupações sobre estes métodos de rastreio de segurança, deve mostrar o respetivo cartão de identificação do dispositivo, solicitar um rastreio alternativo e, de seguida, seguir as instruções do pessoal de segurança.

Embora a maioria dos campos eletromagnéticos no ambiente doméstico raramente possa afetar o funcionamento de um cardioversor desfibrilhador implantável, recomenda-se que mantenha artigos que contenham ímanes a, pelo menos, 15 centímetros de distância do dispositivo implantado.

Antes de se submeter a qualquer procedimento clínico, informe sempre o médico, dentista ou técnico de que tem um dispositivo cardíaco implantado. Poderá ser necessário contactar o seu cardiologista antes da realização do procedimento, especialmente se o procedimento for novo ou raro.

Alguns procedimentos podem potencialmente afetar o funcionamento do seu dispositivo cardíaco e poderá ser necessário aplicar medidas de precaução para evitar ou minimizar quaisquer impactos para si ou para o dispositivo. Encontre aqui as respostas às perguntas mais frequentes sobre fibrilhação auricular.

Quando falar com o seu médico este documento contém informação que o pode ajudar a orientar a sua conversa

Quando falar com o seu médico este documento contém informação que o pode ajudar a orientar a sua conversa

As informações contidas neste site não constituem um aconselhamento médico.

Última atualização de Março de 2021


Siga-nos

ESCREVA-NOS


TERMOS E CONDIÇÕES

As informações contidas neste site não constituem um aconselhamento médico. Consulte o seu médico para informações de diagnóstico e tratamento.